Em jogo tenso, Brasília Vôlei perde para o Bauru fora de casa

Atuando no Ginásio Panela de Pressão, em São Paulo, o Brasília Vôlei não conseguiu conquistar a oitava vitória na Superliga Feminina diante do Bauru, na noite desta quinta-feira (15). A partida terminou em 3 sets a 0 para as mandantes com parciais de 25/18, 25/19 e 28/26. Mari foi eleita a melhor em quadra e levou o Troféu Viva Vôlei.

A partida que abriu a penúltima rodada da Superliga foi marcada por tensão. Em quadra, a bicampeã olímpica Paula Pequeno contra a campeã olímpica Mari. Ao lado de Paula, a melhor levantadora da competição, Macrís Carneiro. Pela equipe Bauruense a melhor líbero, Brenda Castillo. Anderson Rodrigues e Marcos Kwiek comandavam as atletas do lado de fora.

Para o compromisso Anderson escalou o time titular com: Paula Pequeno, Amanda Campos, Macrís, Andréia, Vivian e Roberta. A líbero Silvana fez a recepção e Fernanda a defesa.

O Brasília Vôlei começou o set pontuando no erro de saque da levantadora Juma. Os times ameaçaram uma troca de pontos, mas o Bauru, forçando o saque, levava vantagem (8/4). Após grande levantamento da Macrís, deixando Paula livre para cravar na entrada de rede a vantagem diminuiu (9/7). Na hora tensa do set, Roberta e Andréia fecharam a rede no bloqueio, não permitindo que o Bauru ampliasse (15/10). A reta final continuou nervosa para ambas equipes. A entrada de Sabrina no lugar de Andréia deu mais gás para as brasilienses, mas não foi suficiente e o Bauru fechou em 25/18.

O segundo set iniciou com Amanda atacando no bloqueio após bom saque de Macrís. Pelo meio de rede a central Angélica igualou o marcador (6/6). Com grande entrosamento de Vivian e Macrís o Brasília seguiu buscando o jogo (13/13). O Bauru voltou para o confronto melhor após parada de Marcos Kwiek e Bruna Honório colocou as paulistas à frente (20/17). O set terminou em 25/19 na paralela de Bruna.

No set decisivo o equilíbrio se manteve. Optando por bolas com Roberta e Vivian, Macrís fez o Brasília melhorar. Os passes e o bloqueio também cresceram, marcando 12/16. Na diagonal livre Andréia cravou para fazer 16/18.  A liderança se alternou na parte final do set e o Bauru concluiu em 28/26 após confusa marcação da arbitragem após ataque de Vivian no bloqueio adversário.

“Foi um dia totalmente atípico. Não perdemos por causa da arbitragem. Cometemos muitos erros e jogamos muito abaixo do esperado. Não foi um dia legal, mas independente disso o campeonato continua e temos que ter lucidez para seguir. Sabemos que as dificuldades só aumentam e os adversários estão se preparando melhor para nos enfrentar, agora é hora de trabalhar muito e manter o pé no chão”, disse a capitã Paula Pequeno.

O Brasília Vôlei poderá ainda fechar o ano com vitória em casa. Na próxima quarta-feira (21), às 20h, Amanda e suas companheiras jogarão contra o São Cristóvão Saúde/São Caetano no Ginásio do SESI-Taguatinga. Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Ginásio e custam R$ 20 (meia).

Com informações da Assessoria de Imprensa

Esporte Candango