Massa revela sua maior mágoa em 15 anos de F1: “Aquilo não foi do esporte”

Descobrir que a narrativa de uma corrida que caminhava para ser uma vitória tranquila após uma pole position convincente em um circuito de difícil ultrapassagem foi alterada por um acidente planejado. E ainda por cima perder o campeonato por apenas um ponto. Felipe Massa reconhece que passou por momentos difíceis na Fórmula 1, a maioria nos últimos anos na Ferrari, mas sua maior mágoa sempre será com o episódio protagonizado por Nelsinho Piquet no GP de Cingapura de 2008.

Massa estava a um ponto de Hamilton quando os rivais pelo título daquele ano chegaram à 15ª etapa do campeonato. O brasileiro foi quase 0s6 mais rápido na classificação e liderava com tranquilidade quando Piquet bateu, na volta 13, em um lugar previamente combinado para que o Safety Car entrasse na pista. Assim, Fernando Alonso, seu companheiro de Renault, que havia parado logo antes, assumiu a ponta e acabou vencendo a prova.

O plano, que foi revelado apenas um ano depois, após o brasileiro perder a vaga na equipe, sempre foi visto por Massa como fundamental para a perda do título, uma vez que, durante o Safety Car, sua equipe, a Ferrari, errou no pit stop, liberando o carro antes do fim do reabastecimento. Com o tempo perdido, o piloto terminou fora dos pontos, enquanto Hamilton foi terceiro e abriu sete pontos na ponta.

Massa apontou este episódio como o mais doloroso da carreira.

“Claro que aconteceram problemas, como aquela vez em que eu tive de deixar o meu companheiro me ultrapassar, mas o que me magoou mais foi o que aconteceu em Cingapura porque foi uma coisa que não é do esporte”, explicou.

Tanto o piloto quanto seu pai sempre desconfiaram do acidente, mas só vieram a ter certeza no ano seguinte, quando já não era possível apelar do resultado, ainda que os mentores, Flavio Briatore e Pat Symonds, tenham sido punidos na época.

“A maior mágoa foi quando fiquei sabendo do que tinha acontecido, ainda mais em um campeonato em que eu estava disputando e no qual qualquer detalhe fazia diferença. Tanto, que no final eu acabei um ponto atrás. Foi uma mágoa muito grande”, reconheceu.

“Na verdade, eu já tinha perguntado antes para o Nelsinho e ele fez aquela cara de quem não sabia de nada, mas quando eu vi a cara dele – e isso foi logo no começo de 2009 – entendi que poderia ter sido de propósito [a batida]. Depois, quando fiquei sabendo, foi uma tristeza grande.”
Mesmo que Massa não culpe Nelsinho diretamente pela perda do título, a relação entre os dois nunca mais foi a mesma.

“Ele até veio tentar pedir desculpa e conversamos. Na verdade, ele não fez isso para tentar me tirar do campeonato, são coisas diferentes. Ele fez por outros motivos. Então não fica a mágoa em relação a ele, mais por aquilo que aconteceu.”

Com informações do UOL

Esporte Candango