Luverdense utiliza a experiência e elimina Ceilândia da Copa Verde

A missão do Ceilândia era complicada. Neste domingo, o time precisava vencer o Luverdense em Mato Grosso por dois gols de diferença para tirar a vantagem construída pelos adversários no jogo de ida – o time venceu o alvinegro por 1 x 0 no Abadião – No entanto, a equipe de Lucas do Rio Verde esbanjou experiência, fez valer o mando de campo e matou a partida nos contra-ataques, mesmo com o Ceilândia sendo mais efetivo no primeiro tempo.

O jogo começou com ações mais perigosas do alvinegro. Logo aos dois minutos, Filipe Cirne cobrou escanteio e, ao tentar afastar, o zagueiro Dalton quase fez contra, obrigando o goleiro Diogo Silva a fazer boa defesa.

Com 11 minutos de jogo, após Emerson Martins furar na tentativa de voleio, Michel Platini pegou a sobra e bateu firme para o gol. Se a bola não tivesse sido desviada na zaga do Luverdense, levaria perigo a Diogo Silva.

O Luverdense tinha mais posse de bola, mas o nervosismo dos atletas os impediram de construir jogadas perigosas. Enquanto isso, o Ceilândia seguia tentando aproveitar as oportunidades que surgiam. Aos 28’, o atacante Romarinho, que era a principal válvula de escape do Gato, fez boa jogada pela esquerda e bateu para fora. O lance levou perigo ao gol dos donos da casa.

Já no fim do primeiro tempo, um lance polêmico. Romarinho recebeu bola na área e abriu o placar para o Ceilândia, mas o trio de arbitragem anulou o gol, alegando que o atacante do Gato fez falta na jogada, puxando a camisa do marcador. Os ceilandenses ficaram na bronca com o juiz, e assim terminou a primeira etapa.

O técnico do Luverdense, Odil Soares, mexeu na partida durante o intervalo e colocou o lateral-direito Gabriel Passos no lugar de Aderlan, que tentava marcar o atacante Romarinho durante os primeiros 45 minutos.

Os donos da casa continuaram com boa posse de bola na segunda etapa, enquanto o Ceilândia se lançava ao ataque e era até mais perigoso. Porém, foi o Luverdense quem abriu o placar. Aos 12 minutos, Paulinho recebeu passe de Erick pela esquerda, foi à linha de fundo e cruzou para o meio da área. A bola encontrou Marcos Aurélio, que bateu firme para o gol, abrindo vantagem para a equipe. Luverdense 1×0 Ceilândia.

O Ceilândia tentou reagir logo em seguida. Aos 16′, Filipe Cirne cobrou falta perigosa e o goleiro Diogo Silva colocou para escanteio. Na cobrança, Cirne colocou a bola na área e o zagueiro Walinson carimbou a trave. Na sobra, Badhuga arrebatou e Diogo Silva fez a defesa à queima-roupa.

Naquele momento da partida, o Gato Preto ia ao ataque e deixava espaços lá atrás, e o Luverdense, ligado no cenário do jogo, se aproveitou da situação. Aos 21 minutos, em lance semelhante ao do primeiro gol, Rafael Silva puxou contra-ataque e lançou Erick na esquerda. O meia foi ao fundo e cruzou para o meio. O centroavante Rafael Macena recebeu e mandou para o fundo das redes, enterrando as chances de classificação do Ceilândia. Luverdense 2×0 .

Mesmo após os gols sofridos, o Ceilândia não se entregou. Aos 29’, o lateral Gabriel Passos colocou a mão na bola dentro da área após chute de Formiga e o árbitro marcou pênalti. O goleiro Diogo Silva defendeu a cobrança, mas deu rebote. Na sobra, Romarinho aproveitou e diminuiu o prejuízo dos alvinegros. Luverdense 2×1 Ceilândia.

Nos 15 minutos finais, o time do Distrito Federal continuou tentando chegar ao gol, dando espaço aos donos da casa. Aos 42’, Rafael Silva e Macena tabelaram e Rafael saiu na cara do goleiro Pedro Ferreira. Com muita tranquilidade, o meia do Luverdense deu uma ‘cavadinha’ na bola e mandou para o gol. Luverdense 3×1 Ceilândia.

Não havia mais tempo para a recuperação do Ceilândia e o Luverdense administrou o resultado, aguardando o apito final para comemorar a classificação.

Na saída do gramado, o atacante Romarinho falou sobre o polêmico lance do primeiro tempo. “Até agora tô sem entender por que ele (o juiz) anulou aquele gol, porque o lance foi legal. Se o gol fosse marcado, a história da partida poderia ter sido outra”, esbravejou Romarinho.

Agora eliminado na Copa Verde, o Ceilândia volta as atenções para o campeonato candango. No próximo domingo (26), o time enfrenta o Gama, no Abadião às 16h, em jogo atrasado, válido pela sétima rodada.

FICHA TÉCNICA

Copa Verde 2017
Estádio Passo das Emas, Lucas do Rio Verde-MT
Domingo, 19/3/2017 – 17h
Público Pagante:
Renda: R$
Árbitro: Marcos Mateus Pereira-MS
A1: Ruy Cesar Pereira-MS
A2: Marcos dos Santos Brito-MS
4º árbitro: Silvino André de Lima-MT

  LUVERDENSE-MT 3 x 1 CEILÂNDIA  

Diogo Silva
Aderlanarrow-rightarrow-leftGabriel Passos
Negreteyellow-cardarrow-rightarrow-leftRafael
Dalton
Paulinho
Rafael Silvagoal42’/2T
Sodré
Ricardo
Marcos Auréliogoal12’/2Tyellow-cardarrow-rightarrow-leftKazu
Erick
Macenagoal21’/2T
Pedro Ferreira
Dudu Lopesyellow-card
Badhuga
Walinson
Chinayellow-card
David
Alcione
Emerson Martinsarrow-rightarrow-leftEliveltoyellow-card
Filipe Cirnearrow-rightarrow-leftFormiga
Michel Platiniarrow-rightarrow-left Gilmar Herê
Romarinhogoal30’/2Tyellow-card
 Técnico: Odil Soares
 Técnico: Adelson de Almeida
Gol:goal Cartão Amarelo:yellow-card Substituições:arrow-rightarrow-left