UniCEUB/Brasília vence Bauru e fica próximo de vaga nas quartas de final

Não é exagero dizer que a vitória deste sábado (25) contra Bauru foi a mais importante da temporada até aqui. Bater os atuais vice-campeões da competição no ginásio da AsCEB por 92 a 89 mudou os rumos do UniCEUB/Brasília no NBB. A vitória levanta a cabeça da equipe após a derrota contra Franca e coloca os brasilienses no trilho para buscar, quem sabe, até a liderança. A derrota poderia tirar o time do G4 e complicar – muito – todo o planejamento do biênio 2016/2017.

O Time de Lobos precisa vencer apenas um dos próximos dois jogos para atingir a meta de ficar entre os quatro melhores, ganhando direito para avançar direto às quartas de final. Com a vitória, o Time de Lobos garante a terceira colocação, com 18 vitórias em 26 jogos. O líder Flamengo tem apenas duas vitórias a mais. E as equipes ainda se enfrentam na última rodada, em Manaus, em 1º de abril.

Lucas Mariano foi o cestinha da partida e anotou um duplo-duplo com 26 pontos e 10 rebotes. O capitão Guilherme Giovannoni chamou a responsabilidade no fim do confronto. Dos 18 pontos anotados, 11 foram marcados no último período, com 100% de aproveitamento.

No vestiário, antes de a partida começar, os jogadores conversavam sobre a importância de não deixar a vitória escapar contra Bauru. Eles sabiam que uma derrota fecharia as portas do G4 à beira de encerrar a fase de classificação. “Temos que trabalhar o jogo coletivo, jogar com calma e ajudar o companheiro a manter o foco”, explicou Fúlvio horas antes do jogo.

Dentro de quadra, os jogadores deram pequenos exemplos, que poderiam passar despercebidos, do tanto que sentiram a emoção e a importância do jogo. A cada bola de três arremessada, todo o banco de reserva levantava junto, com os braços levantados, exatamente o mesmo gesto que a torcida faz nas arquibancadas.

Nos lances livres, Fúlvio sempre parava ao lado de um companheiro de time para repassar detalhes da tática. Fazia zigue-zagues com a mão, mostrando como deveria ser a movimentação da jogada seguinte, o que estava errado na marcação. O armador sempre colocava a mão na boca, para evitar que o adversário escutasse. Como se precisasse dessa cautela. O barulho da torcida no ginásio era tão grande que o técnico Bruno Savignani, em vão, gritava para passar instruções, mas saiu de quadra rouco.

“Toda a equipe está de parabéns, esse jogo mostrou que estamos no caminho certo. Não é fácil ganhar de uma equipe com tanto gabarito como Bauru. Foi um resultado fundamental para as nossas pretensões no campeonato”, elogiou o capitão Guilherme Giovannoni.

Aliás, Giovannoni foi um dos mais vibrantes. Nos minutos finais, repetidas vezes se dirigiu até a torcida pedindo mais barulho, e foi prontamente atendido. Na ida para o intervalo, quando o UniCEUB/BRBCARD/Brasília tomou uma bola de três no último lance, o camisa 12 segurou uma lixeira com as mãos, apertando contra o corpo, com raiva. Demonstrações de um atleta que não cogitava sair do ginásio com uma derrota.

As equipes de revezaram no placar durante todo o jogo, e entraram no último minuto com apenas três pontos de vantagem para os brasilienses. E tudo acabou decidido em uma falta antidesportiva.

Restavam 33,5 segundos quando Henrique Pilar sofreu falta antidesportiva de Alex Garcia. O lance gerou muita reclamação dos jogadores e comissão técnica de Bauru. Demétrius Ferraciú, técnico dos paulistas, continuou reclamando mesmo após a marcação do árbitro, e tomou a segunda falta técnica da partida, levando à expulsão.

Com a cobrança dos lances livres o UniCEUB/Brasília abriu leve vantagem, suficiente para garantir a vitória nos segundos finais.

“Sem dúvida alguma, o que vimos aqui foi um jogo de Playoff. As duas equipes brigando o tempo inteiro, muita qualidade dentro de quadra, muito talento envolvido. Fundamental a gente ganhar neste momento, não só pelo G4, mas também pra mostrar a força da nossa equipe”, analisou o técnico Bruno Savignani.

Já era de se esperar gritos para Alex Garcia, ídolo da torcida candanga. Mas quando Bauru parecia se distanciar no placar, os gritos foram para Alex Oliveira, que após pegar o rebote e enterrar a bola, inflamou a torcida. Vindo do banco, Alex Oliveira contribuiu com 11 pontos, quatro rebotes e três assistências.

A torcida continuou no ginásio até o fim da partida para a homenagem a Alex Garcia. O atleta entrou para o Hall da Fama do Time de Lobos após defender a equipe em 2007 e entre 2009 e 2014, conquistando sete títulos.

O próximo compromisso do UniCEUB/Brasília ocorre na próxima quarta-feira (22), às 19h30, contra Macaé, no Rio de Janeiro.

Com informações da Assessoria de Imprensa

Esporte Candango