Jacaré evita pensar em título: “Parece que estou correndo atrás do vento”

Em suas últimas lutas, Ronaldo Jacaré cansou de ouvir perguntas sobre a possibilidade de disputar o cinturão do peso-médio. A resposta, invariavelmente, era: “Depois dessa luta, não vai ter jeito, o UFC terá que me dar uma chance de disputar o título”. O tempo passou, o brasileiro enfileirou adversários de maneira contundente, no entanto, a oportunidade não bateu à sua porta. Restou, então, aceitar os oponentes que a organização coloca em seu caminho, como Robert Whittaker a quem enfrenta no próximo dia 15, no “UFC: Johnson x Reis”, no Kansas, Estados Unidos.

Com o intuito de não se decepcionar, Ronaldo Jacaré tem nova estratégia: foca apenas no adversário, sem pensar mais adiante. Obviamente, o cinturão é o capítulo final de sua empreitada, porém, as frustrações diante de tantas expectativas o ensinaram a ignorar – na medida do possível – o título.

“Parei de falar isso antes do Tim Boetsch. Agora estou trabalhando, estou lutando. Estou tranquilo, fazendo um bom trabalho e ganhando uma quantidade inimaginável de fãs. Nunca imaginei que teria tantos fãs assim. Todo lugar que eu passo, as pessoas me perguntam: “Quando você vai lutar pelo cinturão?”, e eu fico triste porque não sei o que responder. Acredito que com o meu trabalho, depois que eu lutar com o Robert, depois de outras lutas, vai chegar a minha hora. Eu estou focado na minha próxima luta. Parei de pensar no cinturão, porque parece que estou correndo atrás do vento. Meu objetivo é só trabalhar e andar para frente. Se eu estiver andando para frente, de certa forma, estou andando em direção ao meu objetivo, que é ser campeão do UFC. Faço isso dando um passo de cada vez”, declarou Jacaré, durante um almoço promovido pelo Ultimate com a imprensa, sem tirar os olhos dos pratos que o garçom colocava à mesa.

Com informações do UOL

Esporte Candango